09 dezembro 2011

A quarta vigília

Há ocasiões em nossas vidas em que oramos e parece que a resposta está demorando. Nessas horas podemos perguntar a nós mesmos sobre o por que disso? Há algum tempo atrás li um livro muito bom sobre este assunto chamado "When Your Prayers Seem Unanswered"(Quando Nossas Orações Parecem Não Respondidas) de S. Michael Wilcox, sem tradução para o português. O autor cita Marcos 6 quando os discípulos enfrentaram um forte vento ao atravessarem o mar da Galiléia em um barco. O relato na escritura nos ajuda a conhecer melhor a maneira de agir do Senhor conosco: "E vendo que se fatigavam a remar, porque o vento lhes era contrário, perto da quarta vigília da noite aproximou-se deles, andando sobre o mar, e queria passar-lhes adiante"(Marcos 6:48).

Se compreendermos como o tempo era dividido na época do Novo Testamento, esta passagem será mais significativa. A noite era dividida em quatro vigílias: A primeira começava às seis da tarde até nove horas da noite. A segunda vigília ia de nove até meia noite. A terceira durava de meia noite até três da manhã. Por último, a quarta vigília era das três até às seis horas da manhã. Os discípulos entraram no barco no final da tarde ou no início da noite. Jesus apareceu para socorrê-los somente na quarta vigília entre três e seis da manhã. Os discípulos tiveram que enfrentar o vento implacável por horas até receber o auxílio do Mestre. O Salvador sabia das necessidades deles e certamente havia um propósito para aquele tempo de espera.

Muitas vezes oramos e aguardamos por uma resposta, um auxílio sem nos dar conta de que o Senhor é um Deus da quarta vigília. Ele sabe que precisamos remar e enfrentar o vento contrário por um tempo pois isso será para o nosso próprio bem (D&C 122:7).
Não seremos fortalecidos no espírito, nem nossa fé será desenvolvida se o Senhor sempre nos socorresse na primeira vigília.

Contudo, no seu livro, o irmão Wilcox lembra que há uma ocasião em que o Senhor sempre será um Deus da primeira vigília: quando clamamos por perdão. É claro que o arrependimento é um processo e certamente levará um tempo para obtermos o pleno perdão. Porém sempre que procurarmos o Senhor com o fito de arrepender de nossos pecados, Ele na mesma hora começará a nos ajudar a sobrepujar o mal e a mudar nossa natureza. Foi esta realidade que Amuleque procurou ensinar:

"Sim, eu quisera que já não endurecêsseis vosso coração, pois eis que agora é o tempo e o adia de vossa salvação; e, portanto, se vos arrependerdes e não endurecerdes o coração, imediatamente terá efeito para vós o grande plano de redenção" (Alma 34:31).

Portanto através das escrituras podemos conhecer melhor o Deus que adoramos. Ao fazer isso,conheceremos melhor a maneira como Ele age conosco. Ele sabe como e quando nos ajudar, seja na primeira ou na quarta vigília.


2 comentários:

  1. Lindo post. Estava estudando Marcos e quis saber qual o significado da quarta vigília. O google me mandou pra cá e pensei puxa como mesmo pessoas que não são SUD podem ser inspiradas então li a referência de DeC e levei un susto kkkk muito obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Esta redacao falou muito comigo hj. Deus os abençoe. Tiago

    ResponderExcluir